Este post é mais um capítulo na Guerra dos editores. Recomenda-se também ler emacs\_o\_editor.

O GNU Emacs possui uma versão “modo texto” que é utilizando quando em um terminal ou acessada por meio de :

$ emacs -nw

quando em um emulador de terminal.

{width=”80%”}

Assim como no “modo gráfico”, o “modo texto” do GNU Emacs também é:

{width=”80%”}

{width=”80%”}

{width=”80%”}

Infelizmente, o terminal e emuladores de terminal não suportam o mesmo número de teclas e combinações de teclas como o ambiente gráfico. Isso significa que vários atalhos presentes no modo gráfico do GNU Emacs não funcionam (a menos de remapeamento) no modo texto. Algumas dessas teclas são:

O concorrente do GNU Emacs é o Vim que foi desenvolvido para funcionar em um terminal. Embora ele sofra da ausência das mesmas teclas, foi projetado para não utilizá-la.

{width=”80%”}

Assim como o GNU Emacs, é possível customizar o Vim.

{width=”80%”}

E ele também é capaz de utilizar vários arquivos e abrir várias janelas.

{width=”80%”}

Ao contrário do GNU Emacs, o Vim não é orientado a módulos e por consequência “não é possível” abrir um terminal dentro do Vim e outras coisas. Felizmente é possível utilizar um multiplicador de terminal como o Tmux ou GNU Screen.

{width=”80%”}

Referências